As vantagens do padrão de conexões HDBaseT


12 de Maio de 2015

Por Alex dos Santos

A capacidade de conduzir sinais de vídeo Full-HD (e agora 4K) e de áudio multicanal sem compressão, através de apenas um cabo, é o maior mérito do HDMI. Hoje na versão 2.0a, a conexão sofreu um total de nove atualizações que permitiram maior largura de banda e velocidade de dados, mas sem aprimorar o alcance atingido nas transmissões em longas distâncias.

Em tese, cabos com certificação High Speed de 8m de comprimento podem trafegar sinais com resolução 1080p em 3D, 4K e codecs de áudio HD lossless sem a ajuda de repetidores ou extensores. Alguns poucos fabricantes, no entanto, já produzem HDMI de 15m com condutores internos de maior diâmetro, feitos em cobre de maior pureza, melhor blindagem e conectores bem construídos para suportar todos esses sinais sem falhas. Mesmo assim, instaladores e até consumidores começam a buscar soluções que viabilizem a transmissão em grandes projetos ou sistemas de som e vídeo ambiente.

É quando é indicado o uso de equipamentos e acessórios capazes de levar sinais de áudio e vídeo de alta resolução, por meio do cabo de par trançado (UTP), seja de Categoria 5e ou Cat6 dependendo do fabricante do produto. São transmissores/extensores, chaveadores (switchers) e matrizes (matrix), que conduzem desde sinais HD até 4K em distâncias que variam entre 30 e 100m. O transmissor e alguns switchers são vendidos em kit junto com um receptor, pois devem ser conectados entre si via cabo de rede.

Há modelos que trabalham sobre dois cabos de rede, porém os mais recentes, com tecnologia HDBaseT, exigem um cabo Cat5e ou Cat6 para o tráfego de pacotes digitais. Certos modelos enviam ainda comunicação bidirecional, seja infravermelho ou RS-232. Mas é preciso saber alguns detalhes antes de investir uma solução desse tipo.

A SUPER CONEXÃO

Embora o mercado ofereça diversas soluções em transmissão HDMI sobre cabo de rede, as novidades se convergem para o padrão HDBaseT, apontado por especialistas em todo o mundo como o sucessor do HDMI no futuro. Desenvolvido pela Valens Semiconductor, o HDBaseT ganhou força, a partir de 2010, após uma aliança entre a empresa israelense e os fabricantes LG, Samsung e Sony. Hoje, a HDBaseT Alliance conta com 163 membros, dentre os quais muitos fabricantes asiáticos que produzem acessórios em operação OEM para diversas marcas, inclusive algumas disponíveis no Brasil.

O HDBaseT é também conhecido pelo conceito 5Play, que possibilita a passagem de vídeo 4K, áudio multicanal (9.2), internet (100Gbps), energia elétrica de até 100W e sinal de controle, como IR, RS232 ou Ethernet, através de um único cabo Cat5e/Cat6 em distâncias de 100m. Todos os formatos de áudio e vídeo aceitos pela conexão HDMI 2.0 são suportados pelo HDBaseT, numa taxa máxima de transferência de 10.2Gbps, incluindo protocolos inerentes à comunicação digital, como CEC, EDID e HDCP 2.2. A conectividade já está em sua segunda geração, a HDBaseT 2.0, lançada em 2013, que traz suporte a conexão USB e permite streamings simultâneos entre vários pontos de instalação.

O conceito Power over Ethernet (PoE) aplicado ao HDBaseT possibilita conduzir uma potência de 100W no mesmo cabo de rede, o suficiente para alimentar equipamentos de baixo consumo, como player de Blu-ray, receptor digital atual ou TV de até 40”. Na prática é preciso um cuidado maior com a instalação do cabo, cujo diâmetro do condutor de energia seria impraticável em qualquer instalação elétrica. Deve ser de boa qualidade e instalado livre de pressão em toda a sua extensão.

Com a adesão dos maiores fabricantes ao novo padrão, é possível que em breve TVs, projetores, players e home theaters tenham conexão HDBaseT. No Brasil, muitos receivers Integra, distribuídos pela Som Maior; a Epson também traz projetores (de instalação) com essa conectividade; enquanto a Kramer, Control4, Crestron e Savant já possuem matrizes para automação usando a super conexão.

APLICAÇÕES

Devido ao padrão HDBaseT ser mais comum em extensores e switchers, empresas e lojas que buscam soluções para comandar fontes de A/V, transmitir videos institucionais e comunicados em múltiplos sistemas de projeções ou displays adotaram mais rapidamente a conectividade.

Já em um ambiente doméstico, o uso do HDBaseT ainda é restrito a poucas formas de instalação e o custo não muito acessível em relação às soluções mais simples de transmissão via cabo de rede. Pode ser indicado para conectar o receiver a um projetor de vídeo, geralmente no teto, e até para um sistema avançado de chaveamento de sinais para comandos multizonas de alta definição.

BENEFÍCIOS

Além de garantir altas taxas de transferência de arquivos em longas distâncias, o cabo de rede (Cat5e/Cat6) é bem mais acessível e de fácil instalação se comparado ao HDMI. Para o instalador, a montagem do cabo de rede ao conector RJ-45 é muito mais simples com um alicate de crimpagem encontrado em qualquer loja de informática.

DISTÂNCIAS ACIMA DE 100M?

Em locais de amplo espaço, como universidades e centros comerciais, onde é necessário um sistema de comunicação e sinalização digital centralizado, é possível utilizar transmissores HDMI via cabo óptico. A Kramer é a mais avançada nessa tecnologia, oferecendo transmissores com alcance de 1700m para sinais 1080p e 600m para 4K.

HDMI VIA REDE IP

Outro acessório que promete grande flexibilidade de uso e instalação em ambientes residenciais e corporativos é o extensor AV Life da Discabos. Transmite em 100m sinais Full-HD e IR de fontes de A/V, via cabo Cat5e, para receptores (opcionais) ligados próximos a um TV ou receiver. E ao adicionar um switcher de rede gerenciável de qualquer marca entre o extensor e o receptor, é possível expandir – e controlar por um computador – o sinal recebido de uma ou dezenas de fontes para distribuí-los em até 256 telas. Um sensor IR em cada acessório permite ao usuário comandar a fonte de sinal localizada em outro ambiente da residência.

CUIDADOS NA ESCOLHA

O produto baseado em cabo de rede precisa ser confiável para evitar degradação e falhas de handshake no sinal digital. Isso significa detalhes de projeto e construção respeitando os parâmetros técnicos do padrão HDMI; na internet há inúmeros acessórios vendidos por empresas pouco conhecidas, daí a importância de optar por fabricante e/ou distribuidor conceituado. Deve ser compatível com o protocolo de autenticação HDCP, para uma verificação rápida dos códigos armazenados no chip EDID presente nos equipamentos com HDMI. E oferecer capacidade para altas taxas de transferência de dados (data rate): um sistema para trafegar conteúdo 4K, Full-HD em 3D em longas distâncias deve ter capacidade para 10.2Gbps.

INSTALAÇÃO

Em geral, o transmissor HDMI via cabo de rede é utilizado em uma infraestrutura já construída, onde não foi prevista a instalação de eletrodutos independentes para sinais de A/V ou dados. Por isso, o cabo de rede deve ser blindado para coibir interferências eletromagnéticas quando próximo à fiação elétrica, principalmente a que alimenta reatores de lâmpada e motores de eletrodomésticos.